terça-feira, 2 de abril de 2013

Ekib

Sai observando as ruas movediças
daquela cidade árida e pacata
onde cabia o verde do matagal florido
em minha pupila calma
que farejando os cinco sentidos, talvez seis
ouvia sons de quadros pendurados
que vinha do mar de sua oferenda
sobrevoando como pássaros brancos
na rota do farol iluminado.
Cada pensamento e ideia 
de dentro de um mínimo existencial
da pequena flor se desabrochava,
cacarejando pólen de mel.
Me via agora nas areias do céu
em que pisava com a firmeza de mil léguas
segurando nas mãos de minha fortaleza
que me balançava em sua aliança
sob pensamentos redondamente progressivos.






2 comentários:

Lucas Alvim Tomaz disse...

Que feliz, ficou ótimo, muito bom, gostei muito. =D Bem surealista e intimista mano.

Ana Laura disse...

brigadaa =)